Curiosidades e Personalidades do Cemitério dos Prazeres

Por fim, mas não menos importante, hoje irei falar sobre o Mausoléu do Duque de Palmela, de algumas personalidades que ali estão sepultadas, do porquê de se verem tantos ciprestes, da Sra. Josefina e dos fantásticos miradouros do cemitério.
 
 
MAUSOLÉU DO DUQUE DE PALMELA Inserido dentro do cemitério, temos um cemitério privativo mandado construir pelo Duque Pedro de Sousa Holstein (1781 – 1850). Este é um dos jazigos maiores da Europa e maior do país do período romântico.
Este cemitério privativo está sobre-elevado e com o seu próprio portão, destacando-se dos restantes jazigos como se fosse um cemitério dentro do cemitério.No seu interior podemos observar algumas peças únicas, como uma escultura de baixo-relevo de Antonio Canova que foi feita em Roma em honra do pai do duque que morreu por lá. Os restos mortais ficaram por Roma, mas a escultura foi trazida para o mausoléu, como forma de reunir toda a família no mesmo espaço. O jazigo tem capacidade para 200 pessoas no seu interior.No topo da pirâmide está uma estátua que foi feita pelo académico das Belas Artes de Lisboa, Francisco de Paula de Araújo Cerqueira. No exterior, também podemos ver algumas campas, onde estão enterrados os criados e serventes da família.
 
 
JAZIGOS E CAMPAS EXTRAVAGANTESSão jazigos e campas diferentes, extravagantes, modernas e excêntricas!
 
 
PERSONALIDADESPor aqui estão também muitas outras personalidades sepultadas, desde escritores, pintores, artistas das diversas áreas, políticos,… São exemplos, Mário Cesariny, Columbano Bordalo Pinheiro, Maria de Lurdes Pintassilgo, José Malhoa, Ofélia Queiroz, Carlos Paredes, António Gedeão, Cândida Branca Flor, Carlos Paredes, Henrique Mendes, Maluda, Cesário Verde, Vasco Santana, Raúl Solnado… Também existe um talhão dos bombeiros e um da PSP.
 
 
CAPELAA capela tem uma das mais antigas salas de autópsias. Aqui também está instalado o Núcleo Museológico, com vários objectos de culto, como crucifixos, candeias e peças de cerâmica. De momento este espaço encontra-se encerrado ao público.
 
CIPRESTESSe reparem nas fotos que já coloquei do cemitério, verificam que existem muitas árvores ciprestes, sendo a mais antiga e a maior concentração da Península Ibérica. A explicação para o uso destas árvores é simples, para além de serem árvores muito usadas no período greco-romano, as raízes destas árvores crescem verticalmente, não prejudicando os jazigos; estão sempre verdes, transmitindo eternidade; e o cheiro que emanam, disfarça o cheiro da morte.
 
 
SRA. JOSEFINA 
Josefina tem cerca de 80 anos e trabalha no cemitério há cerca de 75 anos. Perdeu a mãe muito cedo e foi viver com os padrinhos que trabalhavam neste cemitério. Desde pequena que teve contacto com este espaço onde brincava diariamente. Cresceu e por lá ficou a trabalhar com a mesma profissão da madrinha, a limpar jazigos.  Os gatos que por lá andam e vivem são cuidados e tratados por Josefina.
 
 
MIRADOUROS Neste espaço podemos ainda desfrutar de uma vista fantástica que vai desde Monsanto a Almada, são vários os pontos que são autênticos miradouros.
 
 
E termina assim a nossa visita guiada ao Cemitério dos Prazeres, um museu a céu aberto!! Espero que tenham gostado tanto como nós!
 
 
Espreitem a nossaVisita pelo cemitério e a simbologia presente nos jazigos.

You may also like

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.