Cemitério dos Prazeres, um museu a céu aberto

Fomos convidados pelo Diego Alvarez para fazer uma visita guiada ao Cemitério dos Prazeres. O Diego é argentino e está há 3 anos em Lisboa, e está a fazer um mestrado no ISCTE em Empreendorismo e Estudos da Cultura. Esteve a fazer um estágio durante 2 meses no Cemitério dos Prazeres no âmbito da tese em que está trabalhar, tese que é sobre simbologia e uma apps sobre o cemitério.diego alvarez cemitério prazeres 02 Dado que ainda não conhecíamos nenhum dos cemitérios de Lisboa aproveitamos a oportunidade e no sábado de manhã fomos ter com o Diego.

Aprendemos bastante nesta visita pois nunca tinha parado para pensar sobre os símbolos que existem nos túmulos ou olhar com outros olhos para estes pormenores. Ainda neste tour, visitámos jazigos de algumas personalidades, conhecemos mais sobre a sua história e o Diego ainda nos contou algumas curiosidades.
O Diego é uma daquelas pessoas cheias de energia e cheio de ideias.
Muita informação foi assimilada nestes dois dias de visita a este museu a céu aberto, e por isso, irei realizar algumas publicações com o que aprendi neste fantástico tour. Espero que gostem!cemitério prazeres 03cemitério prazeres 04cemitério prazeres 05O Cemitério dos Prazeres fica na Praça São João Bosco, junto ao bairro Campo de Ourique e trata-se do segundo maior cemitério de Lisboa com uma extensão de 12 hectares (o maior é o Cemitério do Alto de São João).cemitério prazeres 06cemitério prazeres 07Constituído quase exclusivamente por jazigos particulares, são cerca de 7000, e por volta de 2000 campas, aqui podemo-nos deslumbrar com magníficas peças de arte de arquitectos e escultores do séc. XIX até aos nossos dias, tornando-se assim, num cemitério escolhido pelas elites e pela grande nobreza. Este cemitério acolhe também a elite ligada aos artistas, polícias e bombeiros.cemitério prazeres 09cemitério prazeres 10cemitério prazeres 11cemitério prazeres 12cemitério prazeres 13cemitério prazeres 14cemitério prazeres 15cemitério prazeres 16Antigamente, os mortos eram enterrados nas igrejas e conventos, mas por questões de saúde pública, foram interditos, passando a haver espaços próprios para o efeito. O cemitério foi construído em 1833 para acolher milhares de vítimas da epidemia de cólera.cemitério prazeres 17cemitério prazeres 18cemitério prazeres 19cemitério prazeres 20cemitério prazeres 21cemitério prazeres 22cemitério prazeres 23Podemos visitar o cemitério todos os dias entre as 09h00 e as 17h00 (Outubro a Abril) e entre as 09h00 e as 18h00 (Maio a Setembro).

Amanhã falaremos sobre a Simbologia presente nos jazigos.

You may also like

11 comentários

    1. É verdade, ainda existe algum preconceito! Já conhecia o Père-Lachaise mas sem visita guiada, o que faz toda a diferença. Uma pessoa vai para fora e conhece mais do que na própria cidade em que vive…
      O mais “engraçado” nisto é que foi uma pessoa de outro país a fazer o convite para irmos conhecer o Cemitério dos Prazeres. E não fica nada atrás do de Paris.
      Obrigada pelo interesse 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.